O comportamento das pessoas, das marcas e da tecnologia

A tecnologia é uma realidade imutável na nossa sociedade e estudar como isso pode afetar nosso cotidiano é fundamental. Matteus M. Martins, Gerente de Mídia e Inteligência de Dados da agência Memo, baseando-se na utilização de dados para aplicação de inteligência artificial, falou sobre o comportamento das pessoas, das marcas e da tecnologia.

1 - Como a inteligência artificial pode nos ajudar no dia a dia?

R: A inteligência artificial é uma tecnologia diferente de todas as anteriores. Ao invés de fazer com que as pessoas passem a agir como máquinas, vão ser as máquinas que irão interagir como nós, podendo ler e entender nossas linguagens e até mesmo desenvolver textos, tweets, entre outros… Será a inteligência artificial (IA) raciocinando como se fosse a sua dupla na faculdade, no trabalho ou até mesmo no seu momento de lazer.

Cada experiência que você divide com inteligência artificial, ela aprende e se torna mais rápida e inteligente. Consequentemente, com o tempo, também pode vir a ensinar, mostrar novas coisas e até apresentar ofertas de produtos que tem exatamente o seu perfil, tudo isso baseado em dados.

2 - Na sua opinião, dados é o novo petróleo?

R: Não necessariamente. Porém, em sua utilização, com toda certeza sim, pois a inteligência por trás dessas informações é onde mora o segredo do seu valor. São informações suas, minhas, de todos nós e isso vale muito. Afinal, o petróleo acaba, mas os dados não!

Aqui estamos falando de informações de navegação em sites, da utilização de aplicativos, idade, local onde mora, onde trabalha, batimentos cardíacos, para onde foi viajar, interesses gerais, livros físicos ou e-books que leu, filmes que assistiu, vídeos na internet que selecionou para assistir depois, produtos que comprou e que quer comprar, etc. Tudo sobre nós é possível de ser rastreável. Então, como não valer algo?

Quem souber aproveitar todo seu potencial e fazer bom uso dentro da legalidade, só tem a ganhar!

3 - Poderia nos contar um pouco mais sobre o comportamento através do Big Data.

R: Imagine que até o ano de 1900 o volume informação dobrava a cada 100 anos. Desse período até 1945, passou a dobrar a cada 25 anos. Depois, até 2018, passou a dobrar a cada ano. Evoluímos…ótimo! Com tanta evolução, nós saímos da era das carroças e chegamos ao 5G. Só por isso ter acontecido, estima-se que em 2019, o volume de informação e conhecimento dobrará a cada 12 horas.

Vamos para outro cenário nos baseando em dados do próprio Google: já sabemos que, em média, através de inúmeras pesquisas, acessamos nossos dispositivos móveis 150 vezes por dia. Mas e as interações? Em 2015, a média de interações por dia por pessoa era de 218. Em 2019, essa média subiu para 300; em 2020 estima-se em mais de 600 e em 2025 em torno de 4.800 interações por dia por pessoa. É uma interação, em média, a cada 18 segundos.

Nós temos um volume cada vez maior de dados chegando, nos mostrando tudo o que queremos saber sobre nós mesmos, sobre o nosso comportamento.